Devemos usar uma Kipá e por que?

Uma forma de LEMBRAR que O ETERNO esta, lá de cima, o tempo todo nos vendo. farão, pois, santas vestes para Arão, teu irmão, e para seus filhos, para me administrarem o ofício sacerdotal.” - Êxodo 28: 4.

Kipá é uma palavra hebraica - כיפה, SIGNIFICADO= Arco, (Assim; uma Cobertura em forma de Arco). É um acessório que deve ser usada em observância aos ensinos dos nossos mestres talmúdicos, que nos instruíram da necessidade de se demonstrar, e manter, o temor a D-us em todo tempo e em qualquer lugar. Para tal, afixando uma cobertura sobre a cabeça do homem, já que este não deve usar os cabelos longos e ao mesmo tempo é o homem que mais é seduzido; pelos físicos femininos, ou pela tentação dos ganhos exacerbados, pelo machismo etc. Ou seja: Uma forma de LEMBRAR que O ETERNO esta, lá de cima, o tempo todo nos vendo. “E farás vestes sagradas a Arão teu irmão, PARA GLÓRIA E ORNAMENTOS. Estas pois são as vestes que farão: um peitoral, e um éfode, e um manto, e uma túnica bordada, uma mitra, e um cinto; farão, pois, santas vestes para Arão, teu irmão, e para seus filhos, para me administrarem o ofício sacerdotal.” - Êxodo 28:2 e 4.


No que tange a fé monoteísta, toda prática que tenha repercussão no caráter da própria pessoa, deve ser realizada porque decifro o emblemático que vai representar na minha vida e/ou já tenho total convicção de porque estou realizando, aquele ato; que é por obediência a “x” mitsvá ou mtsvots (MANDAMENTO – ORDEM do Criador) instituídos na Torá/Bíblia. Esta é uma das maneiras de se interpretar o uso da Kipá para o homem (muitos chamam de Quipá).

A diferença entre duas pessoas: uma pessoa que segui as diretivas do D-us que chamou Avraham e logo depois instituiu sua Torá (seus ensinos), e de uma pessoa que vive sua vida a mercê de qualquer ideologia ou não pratica nenhuma liturgia segundo uma crença, é justamente percebida pela maneira de agir, de falar e também de se vestir. Assim, a Kipá, semelhantemente a outros adereços monoteístas, carrega consigo uma sentença moral determinante, capaz de apontar, sem palavras, a maneira de um indivíduo ser mediante sua crença.

A segunda explicação sobre o porquê usar uma Kipá é; Imaginemos um homem e uma mulher que acabam de se conhecer. Qual é o fator determinante que os dois acabarão no altar? O tempo de identificação que o homem e uma mulher levarão para descobri as qualidades imbuídas neles. E estas qualidades estão atreladas ao modo de vida, seus hábitos, suas maneiras e manias, bem como seus usos e costumes. O tempo do namora moldará, ou não, estes dois seres a ponto de passarem a viver semelhantes, e mesmo que aja algo que não agrada a ambos, assumirão viver segundo o molde dele ou a dela; chame isso “A Formação de uma Família”. Chegando ao altar, ocorrerá um contrato selado com uma Aliança. Esta aliança agora passa a ser compartilhada, com as mesmas características, na mão dele e dela e onde forem. Por que usar uma Aliança se já temos um documento (uma Torá / bíblia)? Porque, por mais que os dois tenham consciência que estão ligados por um compromisso, àquela aliança tem a força de demonstrar para os outros, e em qualquer lugar ou tempo, que esta pessoa com uma aliança já pertence a alguém.  

Quando um homem faz uso da Kipa, esta está acima da cabeça, em um ponto visível a todos, tendo a força de falar por si só, que ele além de já está compromissado com uma mulher (se casado), não tem vergonha de mostrar que já tem sua crença fincada nas práticas do D-us que está acima das nossas cabeças.  Este homem se manterá com sua mente consciente e de forma inconsciente sempre se afastando do pecado, de cometer atos que possam ferir os ensinos que ele se comprometeu cumpri com o Soberano Criador.


Pastor: Agnaldo Santana

Comunidade Messiânica Yeshua

09 deSIVAN, 5781 (20 maio de 2021)

Comentários