Suicídio como identificar e buscar resolver?

Suicídio você precisa prever e saber como não permitir que isso aconteça.

FONTE


FÉ EM AÇÃO - É um dos tópicos mais esquecidos e mal abordados em nossa sociedade, mas provavelmente um dos mais importantes hoje. Evitamos isso não por insensibilidade, mas por desconforto e medo. E a ignorância - muitos de nós nos importamos profundamente, mas não sabemos contra o que estamos lutando.

O tópico é, obviamente, a dolorosa realidade do suicídio e as condições mentais, neurológicas e fisiológicas que levam a ele. O suicídio é agora a principal causa de morte nos Estados Unidos bem como nos países em desenvolvimento, especialmente entre jovens (adolescentes próximos aos 20 anos) e homens mais velhos (50+).

Quando as doenças físicas vêm à tona, a sociedade é rápida em responder. Se um vizinho ou parente for diagnosticado com uma doença física grave, corremos para apoiá-lo, providenciando refeições, creches e tudo de que possam precisar para garantir que recebam o melhor tratamento possível. É amplamente aceito que quem sofre de diabetes, câncer ou doença cardíaca deve seguir as ordens do médico e tomar os medicamentos prescritos. Por que é tão difícil aplicar o mesmo pensamento ao lidar com doenças mentais e condições neurológicas?

É difícil porque está cercado de estigma.

Porque é tão assustador e não sabemos o que fazer.

Porque sentar-se com a dor de outra pessoa é tão desconfortável e bem doloroso.

Porque fomos levados a acreditar que não somos qualificados para agir e, se tentarmos ajudar, pioraremos as coisas. (Isso é verdade em muitas áreas, como brincar de terapeuta. Mas cada um de nós é capaz de dar amor e apoiar o tratamento).

É difícil porque há séculos pensamos que se ignorarmos o problema, ele irá embora.

Não vai.

O suicídio é um comportamento humano que aterroriza a maioria das pessoas. É incorretamente visto como; "uma falha de caráter ou moral - ou ato de uma pessoa egoísta". Aqueles que lutam contra tendências suicidas e seus parentes internalizam uma tremenda culpa e vergonha e respondem fazendo tudo ao seu alcance para escondê-las.

Na realidade, a tendência suicida é um problema médico, quase sempre associado a doenças mentais comuns e tratáveis, como depressão, ansiedade, transtornos bipolares e de abuso de substâncias.

Estima-se que mais de 90% dos que morrem por suicídio têm um transtorno mental diagnosticável. Um transtorno mental diagnosticável que poderia ter sido tratado.

A boa notícia é que, na hora de lutar essa luta, cada um de nós tem muito poder.

Quando falamos mais abertamente sobre o suicídio, ajudamos as pessoas a vê-lo como a ameaça médica tratável que é. Quando normalizamos o tratamento de doenças mentais, ajudamos aqueles que sofrem delas a superar a culpa e a vergonha que os impedem de buscar ajuda. E cada um de nós pode aprender como identificar alguém que está em risco e como fornecer recursos e suporte.

Mais ainda, o suicídio costuma ser o resultado de sentimentos de intenso isolamento. Quanto mais pessoas estiverem envolvidas na vida de alguém que pode ser suicida, mais conexões significativas elas terão com outras pessoas, menos isoladas elas se sentirão.

Se você é pai, professor, líder comunitário, irmão ou vizinho, há alguém em sua vida que precisa de ajuda. Aprendendo a reconhecer os sinais de alerta e como reagir, você pode tornar a vida suportável para alguém de quem você gosta.

“Como adultos e como membros da comunidade,  é nosso trabalho estar ao lado das pessoas quando elas precisam de ajuda. É nosso dever leva-las uma palavra de ânimo, de fé e esperança. Isso fará e muito a diferença”.

Junte-se as pessoas que possam estar ao seu alcance com traços de isolamento, cabisbaixas, e busque um diálogo alegre, ofereça sua amizade e seus momentos de forma que elas se sintam seguras e confiáveis, no momento certo elas se abrirão e ai estará sua chance de ajudar a mudar uma situação que poderia ser terrível. Durante a sua vida é muito mais provável que você encontre alguém que precise de intervenção suicida do que RCP. Certifique-se de ter o conhecimento e as ferramentas de que precisa para ajuda-las.

Precisa de ajuda contra o suicídio? Se você acreditar que através do diálogo, da confiança e das preces, que faremos ao Soberano Criador da sua vida, poderemos contribuir para melhor, pela amizade sincera, pela atenção e carinho, não esite em nos chamar, e falar com nosco da maneira que mais se sinta a vontade; Por E-mail: [email protected] Por whatsapp: 11 9 4221-5527, por favor, esteja seguro que só O ETERNO, Bendito seja o seu nome, depois do pastor Agnaldo Santana, será cohecedor do seu problema e palavras confidenciadas. 

Comentários